segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Relação D/s


Já escrevi sobre a importância das práticas na relação SM, sobre a falta ou o excesso de sexo na relação SM, sobre minha essência submissa, no entanto alguns assuntos me chamam a atenção e gostaria de discorrer sobre eles.

Destacando que o material desse texto expressa minha opinião e sua única e exclusiva pretensão é o de dividir idéias e pensamentos sobre esse lindo estilo de vida que é a submissão.

É inacreditável como pré-conceitos formados por alguém viram via de regra para a grande maioria. Já ouvi de muitas submissas, a frase: “tô com vontade de uma sessão”, eu tbm falo muito isso, mas com uma diferença gritante, não nego que gosto e que acho importante a realização das práticas na relação. Refiro-me aqui exclusivamente, a uma autêntica relação D/s, aquela que um Manda e o outro obedece, por meio de um consenso. 

Mas o que me causa um grande desconforto é quando minha fala é interpretada de uma maneira totalmente errônea da intencional. Pois a partir do momento que me auto-intitulei uma submissa por opção e adoração e assumi essa postura seria um sacrilégio eu descartar o valor ou a importância da D/s e valorizar apenas as práticas simplesmente.

Procuro no momento da negociação deixar claro que, em meu humilde modo de entender e vivenciar a relação SM, ela só poderá ser considerada verdadeira e legítima se houver, se existir e for praticada a D/s, por meio de um relacionamento de comprometimento, aprendizagens e crescimento de ambas as partes.

Pelos Deuses desse Universo, não consigo aceitar a remota possibilidade de alguém apanhar, se submeter, sem ter um contexto, sem qualquer sentido, acredito sim, que se fosse para viver e praticar o SM dessa maneira, não precisaria da parte Dominante, cada um decidiria o que gostaria ou não de fazer, tomaria ou não decisões, ou simplesmente usaria seus acessórios sozinhos, sem esquecer de martelar os dedos e de tacar a cabeça na parede, etc.

Ora, em meu modesto entendimento, tudo faz parte de um contexto e a relação D/s é uma relação de via de mão dupla, na qual necessita ser fundamentada no respeito, na cumplicidade, na confiança, na responsabilidade e no bom senso dos envolvidos para que possa ela existir, ser praticada e vivenciada com desejos, sedução, felicidade e segurança, seguida das práticas ou não.

Trocando em miúdos, essa humilde submissa, sempre quis e tem tentado construir e vivenciar uma D/s com história, com comprometimento, com crescimento, com respeito, com carinho, com tesão, bonita, gostosa, cúmplice, com tudo que tenho direito e acredito e o mais importante com um Dom que goste e saiba Dominar!!

Mesmo errando, não vou desistir de tentar nunca...*pisc

bjs de carinho
ternura